sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Pesadelo

Eu sou quem lhe flagela todas as noites, a voz sussurrante que assombra.
Durmo ao seu lado e trago-lhe maus sonhos, mostro-lhe a estrada seduzindo calmamente ao encontro da Besta.
Desejo atormentador, infundido pavor, na escuridão sufocada e completamente desvirtuada.
Sou quem altera seus sentidos, introduzindo a cólera, um fantasma silencioso e executor.
Seu coração palpitará e sua inocência a acordará para que na próxima noite eu possa lhe encontrar.

Penélope Luzi

5 comentários:

  1. Incrível, perfeito e até certo ponto assustador,
    Adorei Lady! ...Parabéns!

    Acabo de adicionar vosso site a minha lista
    de indicações aqui no "Silence" .

    Até breve Lady
    e novamente parabéns por esta linda obra!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. rsrs Chega a ser convidativa esta ameaça.
    Como se soubesse exatamente o que dizer para conseguir aquilo que deseja.
    Na sensibilidade de nossas almas esperamos que a promessa se cumpra, porque ainda que seja uma ameaça sempre vem aquela frase de Allan Poe "Eu não tinha medo de olhar as coisas horríveis,mas ficava apavorado com a idéia de nada ver."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neith War -- Brilhante e perfeita colocação
      com a frase de Poe ao Poema da srta Penélope

      Excluir
  4. Olá Penélope, agradeço-lhe pela visita e por me seguir... Teu espaço é também muito encantador.

    Abraços,
    Laura Ribeiro

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...